terça-feira, 14 de setembro de 2010

Carlos Vital Orson e o legado do Bandeirante do Espiritismo


O Sr. Carlos Vital Olson é o atual presidente do Centro Espírita “Amantes da Pobreza”, fundado por Cairbar Schutel em 15 de julho de 1905. Ele é, também, diretor-presidente da Casa Editora “O Clarim” que, além de editar o jornal “O Clarim”, e a Revista Internacional do Espiritismo, têm publicados cento e dezenove livros de diversos autores. Responsável pelo legado de Cairbar Schutel, o Sr. Carlos nos mostrou os avanços alcançados pelo parque gráfico, que, iniciado por uma máquina impressora acionada por mãos e pés, hoje conta com equipamentos de última geração, possibilitando uma apresentação visual compatível com os grandes jornais e revistas do país. Atencioso, respondeu-nos algumas perguntas acerca de sua vida e daquela grande obra.















Equipamentos usados nas edições na época da fundação.


P: - Como o Sr. se iniciou no Espiritismo?

R: - Desde a infância, tive oportunidade de assistir a sessões práticas de Espiritismo em minha própria casa. Mas, a iniciação propriamente dita, quando comecei a assumir responsabilidades no Movimento Espírita, se deu com a mudança de Pirassununga para Matão, em 1936, quando comecei a freqüentar sessões teóricas no Centro Espírita “Amantes da Pobreza.

P: - Qual foi a sua convivência com Cairbar Schutel e as lembranças que guarda do “Bandeirante do Espiritismo”?

R: - Conheci Cairbar de Souza Schutel de 1936 até 30 de janeiro de 1938, quando ele desencarnou. Registro aqui o funeral mais concorrido da cidade até aquela data, quando visitantes de inúmeras cidades do Brasil chegaram a Matão para prestar suas homenagens ao grande divulgador do Espiritismo.

P: - Poderia nos fazer uma retrospectiva do labor doutrinário do Centro Espírita “Amantes da Pobreza” desde aqueles tempos?

R: - As atividades doutrinárias do Centro Espírita “Amantes da Pobreza”, desde quando foi fundado por Cairbar Schutel em 15 de julho de 1905, consistem em sessões práticas, reuniões de estudos doutrinários e evangelização infantil.














P: - Como está a Editora presentemente?

R: - O parque industrial da editora está bem equipado com computadores para a composição e Impressoras Heidelberg de folha inteira, frente e verso, para livros, e a quatro cores para o Jornal, Revista Internacional de Espiritismo e capas dos livros de nossa Edição. Além disso, conta com outros equipamentos modernos para acabar, dobrar, alcear, grampear, costurar, colar, refilar, possibilitando-nos, caso seja necessário, até dobrar a produção”.

P: - Fale-nos do surgimento de “O Clarim” e da “RIE” e em que países estão circulando.

R: - O jornal “O Clarim” foi fundado em 15 de agosto de 1905 e a sua tiragem atual é de 3.800 exemplares. A Revista Internacional do Espiritismo foi iniciada em 15 de fevereiro de 1925. O primeiro número, que circulou naquele mês, era relativo a janeiro. As duas primeiras revistas foram impressas em São Carlos e, a partir do terceiro número, confeccionadas na Casa Editora. Atualmente, a tiragem é de 9.500 exemplares. Ambos têm assinantes espalhados por todo o Brasil, Portugal, França, Guatemala, Espanha, Venezuela, Japão, Argentina, Estados Unidos, Holanda, Suécia e Suíça.

P: - “O Clarim” e a “RIE” são comercializados em bancas?

R: - Tanto o jornal como a revista são vendidos em quarenta Bancas e Distribuidoras Espíritas. Não temos tido como distribuí-los em outros estabelecimentos devido à nossa modesta tiragem mensal.

P: - Resuma, estatisticamente, os livros publicados pela Casa Editora e suas tiragens.

R: - Os títulos publicados somam 119, com tiragem variável de dois a dez mil livros por impressão, conforme a necessidade de reposição do estoque.

P: - Pela ordem, poderia nos mencionar os títulos de maior tiragem?

R: - Aves sem Ninho; Depressão, Causas e Conseqüências; Em busca da Ilusão; Mansão dos Lilases; Não Pise na Bola; Parábolas; Perdoa; Preces Espíritas.

P: - O Sr. acredita que a editoração de livros eletrônicos influenciará na produção dos livros tradicionais em papel?

R: - Creio que os livros eletrônicos não influenciarão na produção dos livros tradicionais de papel, pois estes ainda deverão ter a preferência da maioria dos leitores, por muitos anos. A própria comodidade de o leitor ter o livro às mãos, no momento que queira, sem necessidade de ter um computador para acessá-lo, já é um indicativo de que o livro tradicional não irá perder o seu espaço.

P: - A Casa Editora “O Clarim” já trabalha com a hipótese de editar seus livros, também eletronicamente?

R: - Como nossa editora nunca deixou de buscar evolução em seu campo de trabalho, sem dúvida alguma ficará em observação ao resultado crescente dos livros eletrônicos, atualmente em número expressivo em vários ramos do conhecimento, para, no momento oportuno, tomar uma decisão a esse respeito. Não somos e não devemos ser fechados ao progresso que se opera em todos os setores de nossas vidas.

P: - Deixamos a palavra ao Sr. para algo mais que queira acrescentar.

R: - A Casa Editora “O Clarim” já passou por várias reformas ao longo de sua história, desde tipos para linotipos, em setembro de 1973; depois de gravações de chapas, para Offset, a partir de fevereiro de 1979, até o estágio atual, bem mais modernizado, com os recursos da informática e das máquinas a que já nos referimos. Tudo isso tem exigido dispêndio de recursos expressivos, a ponto de hoje contarmos com equipamentos cujo montante ultrapassa um milhão de reais. Por isso, esperamos continuar merecendo o prestígio dos caros leitores, adquirindo os livros editados pela nossa Casa, para que ela possa continuar desempenhando da melhor forma possível o trabalho a que se propôs desde o início: divulgar a Doutrina Espírita com responsabilidade e a qualidade que ela merece.

Casa Editora O Clarim
Rua Rui Barbosa, 1070. Caixa Postal 09- Matão-SP- CEP 15990-000


Homepage: http://www.oclarim.com.br
e-mail: oclarim@oclarim.com.br

BREVE BIOGRAFIA:

Carlos Vital Olson nasceu em Pirassununga-SP, em 28 de abril de 1916. Neto dos suecos Karl Olsson e Martha Cristina Svanberg, teve por pais Carlos Alberto Olsoon e Rosa Cicala Olsson. Casou-se com a Srª Letícia Morcieli Olson em 27/06/1935, sendo pais de Elza, Carlos e Gilda. Têm oito netos e dois bisnetos.

Conheceu Cairbar Schutel em 1936,quando se mudou para Matão-SP, e começou a freqüentar o Centro Espírita “Amantes da Pobreza” ao lado do “Bandeirante do Espiritismo".


Fonte texto: O Mensageiro


Imagens de Equipamentos e do logotipo do site Casa Editora O Clarim

Um comentário:

Valéria R Olson disse...

Tenho imenso orgulho de ser sua neta , Deus me abençoou por me presentear com voce como meu querido Avô nesta vida , te amo , te admiro , pelo ser humano maravilhoso que Es , pelo exemplo de Trabalho Duro , Honestidade , Desapego , Amor a Deus , Amor ao Proximo , Caridade , Humildade , Resignação , Moral , Verdade , Perdão , em fim por toda a minha solida base de valores morais , faço parte do seu eterno legado , meu querido!!!

^