quinta-feira, 30 de junho de 2011

Música Espírita: Dor e Confiança - Allan Filho

Encerramos nossas homenagens a Ermance Dufaux com a apresentação ao vivo do cantor e compositor espírita, Allan Filho, interpretando "Dor e Confiança", uma de suas mais belas e conhecidas canções.


quarta-feira, 29 de junho de 2011

Obras de Ermance IV

ESCUTANDO SENTIMENTOS
Médium: Wanderley Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux


















Utilizando conceitos da psicologia Junguiana, do Evangelho e da Doutrina Espírita, Ermance constrói textos que nos ensinam o auto-amor. A autora assevera que nós espíritas temos dado passos importantes no amor ao próximo, mas nem sempre sabemos como cuidar de nós mesmos, tratando-nos com culpas, medos e outros sentimentos que não colaboram para nossa felicidade.


ATITUDE DE AMOR
Médium: Wanderley S. de Oliveira
Espíritos: Cícero Pereira e Ermance Dufaux


















Pequeno livro contendo a palestra de Bezerra de Menezes e debate com Eurípides Barsanulfo sobre o período de maioridade do Espiritismo. Importante obra para o entendimento do futuro da doutrina.

"A melhor campanha para a instauração de um novo tempo na Seara passa pela necessidade de melhoria das condições do centro espírita, que é a célula operadora do objetivo do Espiritismo. Lá sim se concretizam não só o conhecimento e o trabalho, mas a absorção das verdades no campo individual consentidas em colóquios íntimos e permanentes, que reproduzem os momentos de Jesus com seu colégio apostólico. Por isso, temos que promover as Casas, de posto de socorro e alívio a núcleo de renovação social e humana, através do incentivo ao desenvolvimento de valores éticos e nobres capazes de gerar a transformação. Para isso só há um caminho: a educação." (Bezerra de Menezes)


DIFERENÇAS NÃO SÃO DEFEITOS
Médium: Wanderley Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux


















O mais recente trabalho literário de Ermance Dufaux.

"Cada um tem o seu jeito de ser, de fazer e de acontecer. Ninguém será exatamente como gostaríamos que fosse. Quando aprendemos a conviver bem com os diferentes e suas diferenças, a vida fica bem mais leve. Diferenças não são defeitos, aprenda esse grande segredo e conquiste sua liberdade pessoal."

Algumas abordagens: Modelos Mentais de Julgamento. Ser espírita sem ser perfeccionista. Reeducação Sexual e Afetiva. Conviver com Diferenças e Diferentes sem Amar Menos. A Arte de Aceitarmo-nos como Somos. Estudando a Doença Mental da Rigidez. Como é tratada a doença da rigidez no Hospital Esperança. Como se tornar um médium psicógrafo parceiro.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Gotas de Luz


Lei de Causa e Efeito


A Lei de Causa e Efeito, conhecida também com o nome de Lei de Ação e Reação ou Lei do Carma, é uma lei natural, espiritual e universal, essencial para a evolução das almas.

André Luiz em "Ação e Reação" nos diz:

"É a conta do destino criada por nós mesmo, englobando os créditos e os débitos que em particular nos digam respeito. É o sistema de contabilidade do Governo da Vida."

Consiste, portanto, nos padrões de hábito que uma pessoa estabeleceu e as repercussões desses padrões sobre si mesma e sobre os outros.

Princípios Fundamentais:

Allan Kardec examina [CI*-cap VII] com profundidade a Lei de Causa e Efeito. Através de 33 itens, ele tece inúmeros comentários importantes a respeito.

Apresentamos uma síntese:

a)"O estado feliz ou desgraçado de um Espírito é inerente ao seu grau de pureza ou impureza. A completa felicidade prende-se à perfeição. Toda imperfeição é causa de sofrimento e toda virtude é fonte de prazer."

O homem sofre em função dos defeitos que tem: a inveja, o ciúme, a ambição, os vícios sociais são as causas fundamentais dos sofrimentos. Diz Kardec, que a alma que tem dez imperfeições, por exemplo, sofre mais do que a que tem três ou quatro.

Portanto, o único caminho que nos levará à felicidade completa é o do esforço constante no combate às más inclinações, através da reforma íntima;

b)"O bem como o mal são voluntários e facultativos: livre o homem não fatalmente impelido para um nem para outro."

Em [LE*-qst. 645] os benfeitores espirituais afirmam que não há arrastamento irresistível. O homem tem sempre liberdade de escolher entre o bem e o mal e seguir o caminho da correção ou do vício. Por esse motivo, por ter escolhido livremente a opção a tomar, ele torna-se responsável pelos seus atos. Emmanuel diz:

"A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória."

c)"A responsabilidade das faltas é toda pessoal, ninguém sofre por erros alheios, salvo se a eles deu origem quer provocando-os pelo exemplo quer não os impedindo quando poderia fazê-los."

Perante a Lei de Causa e Efeito não existem "vítimas". Só respondemos pelos nossos atos e jamais pelos atos alheios. A ninguém deve o homem culpar em caso de sofrimento, a não ser a ele mesmo, pela sua incúria, seus excessos ou a sua ambição.

Quando mais de uma pessoa vêm a cometer o mesmo erro, tornam-se todos incursos na Lei de Causa e Efeito e, muitas vezes, deverão, juntos, repararem esse erro.

Muitos casos de calamidades coletivas, expiações de grupos ou famílias inteiras enquadram-se nessa situação.

O carma, portanto, pode ser:

. Individual: um único Espírito está incurso na Lei;

. Familiar: quando vários membros de um mesmo núcleo familiar estão inseridos no processo cármico;

. Coletivo: quando toda uma coletividade comprometeu-se com a mesma falta.

d)"A alma traz consigo o próprio castigo ou prêmio, onde quer que se encontre, sem necessidade de lugar circunscrito."

Céu e Inferno, ensina-nos a Doutrina Espírita são estados de consciência. O primeiro corresponde a uma consciência tranqüila em função do serviço bem feito e da atitude sempre correta. O segundo existe em decorrência da culpa, do remorso, que cria para a alma viciosa um campo magnético negativo, através do qual as obsessões, as enfermidades físicas ou psíquicas, ou mesmo os lances desditosos da existência vão se desenvolver.

André Luiz denomina "zona de remorso" a esta área que se estabelece na consciência do homem ante a atitude incorreta. Segundo este autor, a "zona de remorso" será responsável pela radiação doentia que vai infelicitar o perispírito do indivíduo, carreando para ele uma série de possibilidades dolorosas.

Mecanismo da dor


Atitude incorreta => Zona de Remorso => Lesão perispirítica em decorrência de radiações doentias.

DOR MORAL => Gera um campo magnético que atrai a desdita.

DOR FÍSICA => Plasma o corpo físico enfermo.

OBSESSÕES => Permite a sintonia com a vítima.

e) "Toda falta cometida é uma dívida contraída que deverá ser paga; se o não for na mesma existência, sê-lo-á na seguinte ou seguintes."

Em muitas oportunidades, as faltas cometidas numa existência, podem ser reparadas na mesma encarnação; outras vezes, somente na existência posterior terá a alma culpada condições de resgate; e, em determinadas situações, serão necessárias diversas encarnações para que a dívida seja saldada.

Bezerra de Menezes [Dramas da Obsessão] lembra que em algumas oportunidades a alma culpada não possui condição evolutiva ou estrutura psicológica para receber a carga de sofrimento, decorrente do erro. Nestes casos, a lei dá-lhe um tempo de moratória para que se estruture intimamente e possa, no futuro, responder pela falta.

Registramos as palavras do benfeitor:

"Existem obsessores tolhidos numa reencarnação para a experiência de catequese, quando, então, todas as facilidades para um aprendizado eficaz das leis do Amor e da Fraternidade lhes serão apresentadas. Muitos, só mais tarde, em encarnações posteriores, estarão em fase de reparações e resgates."

f)"Pela natureza dos sofrimentos e vicissitudes da vida corpórea pode julgar-se a natureza das faltas cometidas em anteriores existências."

Allan Kardec comenta [LE-qst 973]*: "cada um é punido naquilo em que errou"; porque observa-se uma correspondência íntima entre o tipo de sofrimento e o tipo de falta. André Luiz [Ação e Reação] apresenta várias possibilidades, como mostra o quadro abaixo.


Lei de Causa e Efeito (Faltas e Mecanismos de Resgate):



• Aborto • Mecanismo de resgate: Esterilidade, doenças genitais;

• Incontinência sexual ou erros no amor • Mecanismo de resgate: Impotência sexual ou frigidez, decepções na vida afetiva;

• Ociosidade, indolência • Mecanismo de resgate: Desempregos, má remuneração profissional, paralisias;

• Calúnia ou maledicência • Mecanismo de resgate: Doenças das cordas vocais;

• Beleza física mal canalizada • Mecanismo de resgate: Doenças de pele;

• Erros cometidos no esporte e na dança • Mecanismo de resgate: Reumatismos diversos;

• Inteligência canalizada para o mal • Mecanismo de resgate: Hidrocefalia, oligofrenias;

• Suicídio • Mecanismo de resgate: Doenças congênitas graves, acidentes mortais na infância e adolescência;

g)"A mesma falta pode determinar expiações diversas, conforme as circunstância atenuantes ou agravantes."

Dois fatores condicionam sempre a gravidade de uma falta: a intenção e o conhecimento do erro. Embora as faltas sejam sempre as mesmas, a responsabilidade do culpado ante o deslize será maior ou menor em função do grau de conhecimento que ele possui e de sua intenção ao cometê-lo.

Com relação ao grau de adiantamento, Kardec informa que as almas mais grosseiras e atrasadas são, via de regra, mais atingidas pelos sofrimentos materiais, enquanto os Espíritos de maior sensibilidade e cultura são mais vulneráveis aos sofrimentos morais.

h)"Não há uma única ação meritória que se perca: todo ato meritório terá recompensa."

A Lei de Causa e Efeito não apenas pune o culpado, mas também premia a alma vitoriosa.

Denomina-se "carma positivo" aos condicionamentos sadios que o Espírito atrai para si, em decorrência de atitudes corretas e vivência altruística;

i)"A duração do castigo depende da melhoria do culpado. O Espírito é sempre o árbitro da própria sorte, podendo prolongar o sofrimento pela persistência no mal ou suavizá-la ou mesmo superá-la em função de sua maneira de proceder."

Kardec mostra que não existe condenação por tempo determinado. O que Deus exige, por termo do sofrimento, é um melhoramento sério, efetivo, sincero de volta ao bem;

j)"Arrependimento, expiação e reparação constituem as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta."

O arrependimento pode dar-se por toda parte e em qualquer tempo; se for tarde, porém, o culpado sofre por mais tempo. Mas não basta o arrependimento, embora ele suavize os cravos da expiação.

A expiação consiste nos sofrimentos físicos ou morais que são conseqüentes à falta, seja na vida atual, seja na vida espiritual após a morte, ou ainda em nova existência corporal.

A reparação consiste em fazer o bem àqueles a quem se havia feito o mal. Quem não repara os seus erros numa existência, achar-se numa encarnação ulterior em contato com as mesmas pessoas de modo a demonstrar reconhecimento e fazer-lhes tanto bem quanto mal lhes tenha feito.

Fases do resgate do erro:

1º Arrependimento
2º Expiação
3º Reparação


*CI: O Céu e o Inferno, Alan Kardec.
*LE: O Livro dos Espíritos, Alan Kardec.


Bibliografia

a) O Livro dos Espíritos - Allan Kardec
b) O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec
c) Céu e Inferno - Allan Kardec
d) Ação e Reação - André Luiz/Chico Xavier
e) Vidas de Outrora - Eliseu Rigonatti
f) Dramas da Obsessão - Bezerra de Menezes/Yvonne Pereira


Fonte: CVDEE

segunda-feira, 27 de junho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

Mensagem da Semana


Reformar


Reformar é formar novamente, dar nova forma. Reforma Íntima nada mais é que dar nova direção aos valores que já possuímos e corrigir deficiências cujas raízes ignoramos ou não temos motivação para mudar.

É dar nova direção a qualidades que foram desenvolvidas na horizontalidade evolutiva, que conduziram o homem às conquistas do mundo transitório.

Agora sob a tutela da visão imortalista, compete-nos dirigir os valores amealhados na verticalidade para Deus, orientando as forças morais para as vitórias eternas no rumo da elevação espiritual pelo sentimento.


Ermance Dufaux

Psicografado por Wanderley Soares de Oliveira

sábado, 25 de junho de 2011

Obras de Ermance Dufaux III

MEREÇA SER FELIZ
Médium: Wanderley S. de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux



















Um estudo sobre o orgulho e sua influência em nosso caminho espiritual. A autora espiritual considera que essa “barreira moral” é dos mais fortes obstáculos à nossa felicidade, porque nos leva à ilusão.

Ela esclarece:

"As anotações desse volume despretensioso foram inspiradas num curso de vinte dias que realizamos no Hospital Esperança, sob a direção de Eurípedes Barsanulfo. O amado benfeitor reuniu uma centena de almas que cooperam ativamente no labor da psicografia junto ao movimento espírita, concedendo-nos a alegria de compartilhar de sua venerável bagagem em admiráveis e inesquecíveis lições de vida, enfocando o orgulho como o principal obstáculo para a aquisição do contentamento eterno e da paz íntima.

O benfeitor fez inspiradas análises sobre suas causas, seus efeitos e conduziu sempre nossos raciocínios e sentimentos ao imperativo da humildade como quesito primordial para a instauração do Reino de Deus no altar íntimo da consciência".



LÍRIOS DE ESPERANÇA
Médium: Wanderley S. de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux



















Conheça a trajetória de seareiros espíritas que desencarnaram sob o peso das ilusões, mas que encontraram em si a força divina para reconstrução de suas vidas. Ermance Dufaux alerta os espíritas e lidadores do bem de um modo geral, para as responsabilidades urgentes da renovação interior e da prática do amor, neste momento de transição evolutiva, através de novos modelos de relação, como orientam os benfeitores espirituais. Esclarecimentos oportunos e urgentes em forma de diálogos que visam desfazer ilusões e libertar as pessoas do nocivo sentimento de culpa.



LIÇÕES PARA O AUTOAMOR
Médium: Wanderley S. de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux


















Este livro de bolso da autora espiritual Ermance Dufaux é um repositório de mensagens de estímulo na conquista do perdão, da aceitação e do amor a si mesmo. Cada texto é um exercício prático e reflexivo para ser realizado nas mais diversas situações da vida. Composto por 50 capítulos, encontramos nas Lições de Ermance Dufaux inspiradas sugestões sobre como cuidar de si próprio – condição fundamental para uma vida mental sadia repleta de serenidade e paz.



LAÇOS DE AFETO
Médium: Wanderley S. de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux



















Uma abordagem sobre a importância do afeto em nossos relacionamentos para o crescimento espiritual. São textos retirados do dia-a-dia de nossas experiências. Um estímulo ao aprendizado mais proveitoso e harmonioso na convivência humana.


Sinopses e Imagens: Editora Dufaux e Livraria FAE

sexta-feira, 24 de junho de 2011

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Extra (Cultura de Paz): Semana contra violência armada

Semana contra violência armada ganha milhares de adeptos no Brasil



Cerca de 1.200 pessoas participaram da Semana de Ação Global contra a Violência Armada, realizada entre os dias 13 e 19 de junho. A campanha tem o objetivo de sensibilizar as pessoas sobre os riscos das armas de fogo, e é realizada há uma década em mais 70 países. No Brasil, a mobilização é coordenada pelo Instituto Sou da Paz que promoveu uma cyberaction convidando os internautas a tirarem fotos com a mensagem #desarme e publicarem na internet. O Sou da Paz recebeu mais de 1.200 fotos de gente engajada de todo Brasil e da América Latina. Os internautas também replicaram a ideia em posts no Twiter e no Facebook.

“As redes sociais permitem que a informação se espalhe rapidamente na internet e atinja um novo público. Muitas pessoas aderiram à campanha depois ver as fotos e materiais de divulgação da Semana de Ação Global no Facebook, afirma Alice Ribeiro, Coordenadora da Área de Controle de Armas do Instituto Sou da Paz.

A Semana de Ação Global contra a Violência Armada é uma iniciativa da IANSA, articulação internacional composta por 250 organizações de mais de 100 países que lutam pela redução da violência armada.





Veja aqui
as fotos de quem participou da campanha #desarme.

Clique aqui
e saiba mais sobre o controle de armas no Brasil e no mundo.


Fonte: Viva Pernambuco

Imagens: Instituto Sou da Paz

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O Poder do Pensamento

A Casa Mental e a Reforma Íntima

A compreensão dos mecanismos da mente auxilia-nos a entender como se opera o grande objetivo da transformação.
















Diz André Luiz: "Não podemos dizer que possuímos três cérebros simultaneamente. Temos apenas um que, porém, se divide em três regiões distintas. Tomemo-lo como se fora um castelo de três andares: no primeiro situamos a residência de nossos impulsos automáticos, simbolizando o sumário vivo dos serviços realizados; no segundo localizamos o domicílio das conquistas atuais, onde se erguem e se consolidam as qualidades nobres que estamos edificando; no terceiro, temos a casa das noções superiores, indicando as eminências que nos cumpre atingir. Num deles moram o hábito e o automatismo; no outro, residem o esforço e a vontade; e no último estão o ideal e a meta superior a ser alcançada.

Distribuímos, deste modo, nos três andares, o subconsciente, o consciente e o superconsciente. Como vemos, possuímos, em nós mesmos, o passado, o presente e o futuro" (No Mundo Maior. Pelo espírito André Luiz, psicografado por Chico Xavier, capítulo 3. FEB).

O estudo deste tema é fundamental em quaisquer assuntos da reforma íntima. É um tema de fácil entendimento e usaremos da ilustração para ajudar a compreensão.

André Luiz fez uma comparação dos níveis mentais com uma casa. O porão é onde guardamos tudo aquilo que poderá nos servir em algum momento. É o armazém ou depósito da mente, denominado pelo autor espiritual como subconsciente, no qual se encontram todas as experiências, boas ou infelizes, representando todo o nosso passado espiritual. Tudo que nós fazemos é registrado nessa parte da mente.

A parte social da residência é o local no qual mais nos movimentamos, assim como a cozinha, quarto, sala e demais cômodos mais usados em uma casa. É o nível chamado de consciente e corresponde a todas as operações relativas ao momento presente, constituindo a personalidade atual desde o renascimento na matéria até o momento atual.

O sótão é a parte da casa que mais raramente utilizamos, no intuito de relaxar, descansar ou refletir. Representa o superconsciente ou região nobre da mente, onde se encontram todos os germens divinos da perfeição, em estado latente. É o nosso futuro.

Na ilustração, você pode ver uma relação entre as cores amarelo, branco e preto como sendo superconsciente, consciente e subconsciente, e os respectivos andares da casa. Os três níveis mentais têm correspondência com três áreas da vida cerebral no corpo físico, mas não vamos aqui aprofundar esse aspecto que poderá ser estudado no livro de André Luiz. Segundo o autor espiritual, no subconsciente mora o automatismo e o hábito. No consciente reside o esforço e a vontade; e no superconsciente encontramos o ideal e a meta.

A compreensão dos mecanismos de interação entre estes "moradores" auxilia-nos imensamente entender como se opera o grande objetivo espiritual da reforma íntima.

Os moradores dos três níveis

Essas três partes da vida mental estão em constante interatividade. Do subconsciente partem apelos automatizados que foram consolidados ao longo de várias reencarnações e que podem dominar nossas ações, pensamentos e sentimentos. Por exemplo: quem fumava, em reencarnações recentes, ou desenvolveu o talento de tocar piano terá impulsos para fumar novamente e grande facilidade para aprender piano na presente existência corporal.

Na reforma íntima, como temos que superar muitos impulsos ou tendências do passado, é necessário que os moradores do consciente, ou seja, o esforço e a vontade, sejam manejados decididamente para tomar conta da vida mental e escolher com sabedoria o que queremos fazer, pensar e sentir, diante dos ideais de transformação moral. Aqui, temos um primeiro conceito de reforma íntima: a ascendência da vontade e do esforço sobre nossos milenares hábitos cristalizados no subconsciente.

O conflito interior nasce dessa luta entre consciente e subconsciente. É preciso muita disciplina para conter os impulsos, nem sempre nobres, dessa parte subconsciente da vida mental.

Outro conceito importante de reforma íntima é o aprendizado de despertar os valores divinos que se encontram adormecidos no superconsciente. Educação é exatamente esse ato de extrair ou colocar para fora os tesouros de nossa divindade que se encontram adormecidos nesse nível. Todos nós os temos guardado nesse campo da vida mental superior. Por exemplo: quando buscamos a calma, a alegria, a fé e tantos outros patrimônios espirituais, em verdade, todos eles já se encontram no superconsciente. A meditação, a oração, o desenvolvimento da honestidade em relação aos nossos sentimentos, o hábito do autoamor através do cuidado conosco e o serviço do bem são algumas das muitas formas de acessar essa zona mental nobre e recolher o conteúdo energético que nos fará sentir o bem-estar de uma vida saudável e plena.


Wanderley Soares de Oliveira


Fonte: Trecho do artigo publicado na Revista Cristã de Espiritismo, abril 2010, ed.79.
Imagem: Revista Cristã de Espiritismo, abril 2010, ed.79.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Afinidade


Você já percebeu a arrogância em alguma pessoa?

Aquilo que vemos nos outros são reflexos leais do que somos, ou pistas seguras de que temos algo similar dentro de nós.

Nossa tarefa de educação consiste em disciplinar nossos impulsos ególatras. Seguir a meta em direção aos mundos melhores nos quais "o homem não procura elevar-se acima do homem, mas acima de si mesmo , aperfeiçoando-se."

Não se esqueça de que a pior atitude de arrogância é a de colecionar certezas sobre a vida, sem reciclá-las conforme o ritmo evolutivo de nossa humanização.

A solução vem da capacidade de servir.

Aquele que se fizer o servo de todos será o maior na obra do Cristo.

Afinidade , assim como tudo que a vida nos brinda para celebrar o bem, são responsabilidades pelas quais devemos zelar com máxima prudência, para que jamais se transformem em pasto de arbitrariedade, ou espelho para projetar nossas carências.

Afinidade espiritual deve significar arrimo da ilusão .

Para muitos afinidade é estar com aquele que pensa da mesma maneira, ou que tem os mesmos gostos!...

Os afins, à luz do espírito imortal, são aqueles que constroem juntos na fileira do tempo, a devoção espontânea, ainda mesmo que divirjam sobre os mais variados pontos de vista.

Na obra do Cristo, os afins são aqueles que decidem se amar, apesar das diferenças...


Ermance Dufaux

Do livro "Lírios de Esperança", de Wanderley Soares de Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Boas Notícias

Nossos destaques para notícias positivas veiculadas em sites durante o mês de junho:


Cultura de Paz

Edição Extra - Prêmio Gandhi de Comunicação 2011 foi entregue em solenidade na FIEC



Em noite de festa, a Agência da Boa Notícia fez a entrega do Prêmio Gandhi de Comunicação 2011 nessa segunda-feira (30), no Auditório Waldir Diogo, da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). Na ocasião, realizou o Fórum Comunicação e Paz na Natureza. Na categoria Profissional/Jornalismo Impresso, venceu Ana Mary Carneiro Cavalcante (O Povo); Profissional/Telejornalismo ficou com Sabrina Kelma de Aguiar Tomaz (TV Verdes Mares); na categoria Profissional/Radiojornalismo, Liduína Saraiva (Rádio Jangadeiro); Profissional/Publicidade e Propaganda, o prêmio foi para Marina Moraes (Agência Mota Comunicação). Entre os estudantes, o prêmio de Publicidade foi para Daniel Silva Barbosa (Faculdade Católica do Ceará); Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Comunicação Social teve como vencedor João Moura Rocha Sobrinho (Universidade Federal do Ceará); na categoria Trabalho de mídia impressa de estudante de Jornalismo, quem venceu foi Andréa Nunes de Carvalho Pinto (Universidade de Fortaleza); Trabalho de mídia eletrônica de estudante de Jornalismo, o ganhador foi Miguel Anderson da Costa Ferreira (Faculdade 7 de Setembro).

O Presidente da Agência da Boa Notícia, jornalista e professor Francisco Souto Paulino, afirma estar satisfeito com a participação de profissionais e estudantes no concurso. “A cada ano verificamos a profundidade das pesquisas dos trabalhos inscritos e com cuidado muito mais acentuado, visando ao bem-estar da sociedade”.

O Prêmio Gandhi de Comunicação foi instituído pela Agência da Boa Notícia com o objetivo de estimular a produção de trabalhos nas áreas do jornalismo e publicidade que mostrem o que de bom a sociedade produz, gerando harmonia e transformando a vida para melhor. Na edição 2011 do Prêmio Gandhi, foram inscritos 73 trabalhos, sendo 32 de profissionais de rádio, TV, jornal impresso e publicidade; e 41 de estudantes de jornalismo e publicidade. A premiação nas categorias profissionais é de R$ 5 mil para cada autor e nas categorias de estudantes o prêmio para cada vencedor é de R$ 2,5 mil.

Veja a relação completa dos ganhadores e das matérias premiadas:


Profissional - Jornalismo Impresso
Autor: Ana Mary Carneiro Cavalcante
Matéria: O Amor e a AIDS (publicada no período de 7 a 9 de novembro de 2010)
Veículo: O Povo

Profissional - Telejornalismo
Autor: Sabrina Kelma de Aguiar Tomaz
Matéria: “Série: Prosa da Paz” (veiculada de 21 a 23 de fevereiro de 2011)
Veículo: TV Verdes Mares

Profissional - Radiojornalismo
Autor: Maria Liduína Saraiva Moreira
Matéria: Cultura de Paz no Futebol – Série de Reportagens (veiculada nos dias 5 e 6 de maio de 2011)
Veículo: Rádio Jangadeiro

Profissional - Campanha ou peça publicitária
Autor: Marina Moraes
Matéria: Sexo Seguro – campanha out-door (veiculada em fevereiro de 2011)
Veículo: Agência Mota Comunicação

Estudante - Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Comunicação Social
Autor: João Moura Rocha Sobrinho
Título: Nascidos para Salvar (apresentado em 1º e 3 dezembro de 2010)
Instituição de Ensino Superior: Universidade Federal do Ceará - UFC

Estudante - Trabalho de mídia impressa de estudante de Jornalismo
Autor: Andréa Nunes de Carvalho Pinto
Matéria: Pirambu: além do que se vê (veiculada no Jornal Sobpressão)
Instituição de Ensino Superior: Universidade de Fortaleza - Unifor

Estudante - Trabalho de mídia eletrônica de estudante de Jornalismo
Autor: Miguel Anderson da Costa Ferreira
Matéria: Centro Cultural Bom Jardim: Na luta pela transformação social
Instituição de Ensino Superior: Faculdade 7 de Setembro

Estudante - Trabalho de estudante de Publicidade & Propaganda
Autor: Daniel Silva Barbosa
Título: Campanha (anúncio cartaz) Todos Iguais
Instituição de Ensino Superior: Faculdade Católica do Ceará

Não houve inscritos na categoria Profissional/Fotojornalismo (foto/ensaio).

O Prêmio Gandhi de Comunicação 2011 conta com o patrocínio do Banco do Nordeste, Servis, Assembleia Legislativa do Ceará, Fundação Beto Studart, Corpvs, Estação da Luz, Sebrae-Ceará, Betânia, Unimed-Fortaleza, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

Como apoiadoras estão as seguintes empresas e entidades: Igenio, Associação Cearense de Imprensa, Universidade Federal do Ceará, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará, Sindicato das Agências de Propaganda do Estado do Ceará, Associação Cearense das Empresas de Rádio e Televisão do Ceará, UNICEF, Unipaz-Ceará e os jornais O Estado, O Povo e Diário do Nordeste.

Fórum

Com o objetivo de promover uma reflexão sobre o papel da mídia para harmonizar as ações dos seres humanos com o meio ambiente, a Agência da Boa Notícia realizou o Fórum Comunicação e Paz na Natureza. A Profª Ilza Girard, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e integrante do Núcleo de Ecojornalistas/RS fez palestra sobre o tema central do encontro. Em seguida houve debate com a participação da Profª. Vládia Pinto Vidal, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Ceará (UFC), e dos jornalistas Edgard Patrício (O Povo e Agência Catavento) e Maristela Crispim (Diário do Nordeste). O moderador foi o jornalista e diretor da ABN, Moacir Maia.

Fonte: Agência da Boa Notícia, 31/05/2011


Ciência

Observatório identifica galáxia parecida com a Via Láctea


A grande diferença entre a Via Láctea e a NGC 6744 é o tamanho
Foto: ESO/Divulgação

O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês) divulgou nesta quarta-feira a imagem de uma galáxia parecida com a Via Láctea. Os astrônomos utilizaram o telescópio MPG (de 2,2 m) para localizar a NGC 6744, que fica cerca de 30 milhões de anos-luz de distância na Constelação Pavão.

A galáxia possui uma forma com braços espirais em torno de um denso e alongado núcleo e um disco de poeira. A grande diferença entre a Via Láctea e a NGC 6744 é o tamanho. Enquanto a primeira tem 100 mil anos-luz de diâmetro, a outra tem quase duas vezes este tamanho.

A NGC 6744 é uma das maiores galáxias espirais próximas da Via Láctea e possui um brilho de cerca de 60 sóis - sendo que pode ser identificada com um pequeno telescópio. A imagem foi obtida através de quatro filtros diferentes que mostraram as luzes azul, amarela-esverdeada, vermelha e o brilho do gás hidrogênio.


Fonte: Terra Notícias, 01/06/2011


Cientistas identificam receptores de nicotina responsáveis pela perda de apetite


Todo mundo sabe que o cigarro inibe o apetite, mas até agora não se sabia ao certo como nem por quê. Mas cientistas da Faculdade de Medicina Baylor, em um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Yale, identificaram os receptores de nicotina que influenciam a via de supressão do apetite. A descoberta foi publicada na edição desta semana da revista "Science".

- O hipotálamo é uma área do cérebro que integra os sinais que chegam do intestino e diz ao cérebro se precisamos de mais comida ou se já temos o suficiente de calorias - disse Mariella De Biasi, professora de neurociência e diretora assistente do Centro de Dependência, Aprendizagem e Memória da Faculdade de Medicina Baylor.

No estudo, a equipe da pesquisadora Marian Picciotto, da Yale, observou os receptores de nicotina expressos nos neurônios do hipotálamo que controlam a motivação para comer. Em ratos, eles foram capazes de determinar que um subtipo do receptor, o α3β4, pode influenciar o quanto se come. Eles descobriram que quando a nicotina se liga a esse receptor, neurônios pró-ópio-mela-nocortina (POMC) são ativados , iniciando o processo de supressão de apetite.

- Identificar este receptor é importante para o entendimento dos mecanismos relacionados ao vício, peso e fumo. Por enquanto os resultados são em ratos, mas podem abrir as portas para terapias que ajudem as pessoas a parar de fumar sem ganhar peso - disse De Biasi, que acrescenta que o estudo pode ajudar no desenvolvimento de drogas que ajudem no controle da obesidade e distúrbios metabólicos relacionados.

Fonte: O Globo, 09/06/2011



Educação


Desafio National Geographic 2011: inscrições até 29/07



Promovido pela revista National Geographic Brasil e pela Editora Abril, o concurso Viagem do Conhecimento - Desafio National Geographic 2011 premia os melhores estudantes de geografia, no Brasil. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até 29 de julho, pela internet

Estão abertas as inscrições para o concurso Viagem do Conhecimento - Desafio National Geographic 2011, que tem a intenção de testar o conhecimento de estudantes brasileiros - que estejam cursando entre o 8º ano do Ensino Fundamental e a 1ª série do Ensino Médio -, sobre geografia e áreas afins.

A iniciativa, que é promovida, todos os anos, pela revista National Geographic Brasil e pela Editora Abril, visa contribuir para a melhoria da qualidade de ensino da disciplina no país e, ainda, estimular os jovens estudantes a conhecer melhor - e, consequentemente, respeitar mais - a diversidade de lugares, povos e culturas do mundo.

Os estudantes de escolas públicas e privadas, de todo o país, podem participar do Desafio: basta serem inscritos pela internet, até o dia 29 de julho, por um diretor, coordenador ou professor de geografia da instituição onde estudam. A ficha de inscrição está disponível no site do Viagem do Conhecimento.

O Desafio, que neste ano está sendo patrocinado pela Petrobras, terá quatro etapas:

- Fase Local, em que será aplicada a primeira prova, nas próprias escolas em que estudam os jovens participantes;
- Fase Regional, quando acontecerá a segunda prova, nos colégios eleitos como sedes estaduais do Desafio;
- Fase Nacional, quando serão divulgados os 20 finalistas da iniciativa, que viajarão juntos, acompanhados de responsáveis, para um destino brasileiro que ainda será definido pelo Comitê Gestor da iniciativa e
- Fase Final, em que os estudantes realizarão as duas últimas provas do Desafio, após cumprirem um roteiro repleto de eventos e passeios culturais.

A cerimônia de encerramento do Viagem do Conhecimento - Desafio National Geographic 2011 acontecerá em novembro deste ano e contará com a entrega de medalhas e certificados para todos os finalistas.


Fonte:
Viva Pernambuco, 17/06/2011

domingo, 19 de junho de 2011

Mensagem da Semana


Ouvir a Mensagem

Pérola de Deus


A pérola, uma das mais belas jóias naturais, é formada a partir do instante em que as ostras são agredidas por algum agente externo e liberam uma substância chamada nácar, cujo objetivo é envolver aquele elemento agressor e protegê-las. O acúmulo de várias camadas de nácar em movimentos concêntricos vai formar a pérola depois de algum tempo.

A felicidade é como a pérola que se forma dentro da ostra: nasce dos embates de cada dia no esforço da transformação no reino do sentimento.

Portanto, mesmo com os problemas e dificuldades, não desanime ou interrompa teus ideais de espiritualização. A seu tempo, perceberás um clarão reluzente na tua intimidade, refletindo a riqueza e a sabedoria do Pai, que servirão para embelezar a vida e fazer-te mensageiro da paz em ti mesmo. É a pérola da alegria definitiva.

Ser feliz é estar bem consigo e com o mundo. É deixar a pérola da alegria luzir para tudo que vibra à tua volta. Ser feliz é desconhecer barreiras, porque a felicidade anda de mãos dadas com a fé.

Ser feliz! Quanto significa esta expressão!

Abre-te para a vida sem medo ou culpa, acredite no futuro, trabalhe e sirva, ame e perdoe. Inevitavelmente serás respondido pelas leis que conspiram a favor de teu progresso e ascensão.

Prossiga confiante na conquista de ti próprio e guarda inabalável certeza de que fostes criado por Deus para ser feliz na condição de "ostra da Terra" e pérola de Sua Criação.



Ermance Dufaux.

Do livro Mereça ser Feliz, de Wanderley Soares de Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux.

sábado, 18 de junho de 2011

Pensamentos Nobres


Pérolas de luzes extraídas das obras de Ermance Dufaux:


“Uma das maiores fontes da infelicidade humana é não entender a linguagem dos sentimentos.” - (Do livro "Mereça Ser Feliz")

“O objetivo maior da vinda do homem a Terra é a sua melhora espiritual. Tal mister só será plenificado na medida em que aprender a amar, porque o amor é o decreto sublime do universo para o crescimento e a felicidade de todos os seres.” (Do livro "Laços de Afeto")

"A informação consola e instrui. A transformação liberta e moraliza. A informação impulsiona. A transformação descobre. A teoria impulsiona a busca de novos valores. A reeducação dos sentimentos enseja a paz interior." (Do livro "Escutando Sentimentos")

“A felicidade, tão procurada no mundo da transitoriedade, está em nós, no ato de penetrarmos na desconhecida gleba do eu, arando esse terreno fértil para que floresça a Divindade da qual somos todos portadores.” (Do livro "Mereça Ser Feliz")

"Um novo e mais emergente conceito de responsabilidade social será necessário para corresponder aos tempos novos das sociedades. As dores imperceptíveis e ocultas causam mais destruição que aquelas que os olhos conseguem alcançar." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

“Mediunidade nobre, cargos de destaque, livros consoladores, obras de caridade, oratória fluente são recursos didáticos de auto-aperfeiçoamento e não atestados de competência de virtudes que supomos já possuir.” ( Do livro "Mereça Ser Feliz")

“Reforma intima é ser melhor hoje em relação ao ontem, e jamais deixar arrefecer o desejo de ser um tanto melhor amanha em relação ao hoje. Basta-nos aprender a ouvir a consciência e a estudar nossos instintos. Reforma é um trabalho processual.” (Do livro "Reforma íntima sem Martírio")

“Cuidar é uma palavra que merece atenção especial de todos nós. Os cuidados com a vida, com o próximo, com a natureza e conosco próprio traduzem a atenção e o empenho para com as questões pertinentes ao coração e às responsabilidades de cooperadores na obra do universo.” (Do livro "Laços de Afeto")

"Prossiga confiante e não desista de servir e aprender. Isto deve bastar ao servidor de Jesus." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

“Uma criatura informada poderá realizar amplos vôos nas realizações do bem, entretanto, somente os conscientizados saberão como usar essas realizações para sua libertação pessoal.” (Do livro "Mereça Ser Feliz")

“Fé é a adesão espontânea da alma na busca da Verdade, Mediunidade é o ventre sagrado do fervor. Através dela, ocorre a sublime gestação do patrimônio da crença lúcida e libertadora.” (Do livro "Lírios da Esperança")

“Oração é a terapia da mente. Sem oração dificilmente recolheremos os germens divinos do bem que constituem as correntes de energia Superior da Vida. Através dela, igualmente, despertamos na intimidade forças nobres que se encontram adormecidas ou sufocadas pelos nossos descuidos de cada dia.” (Do livro "Reforma Íntima sem Martírio)

“A única comparação útil e proveitosa, sob a ótica do aprendizado espiritual, é aquela que fazemos conosco próprio, procurando sempre aferir se estamos hoje um pouco melhor em comparação ao ontem.” (Do livro "Mereça Ser Feliz")

"Que os nossos olhos sejam sempre uma fonte viva na estimulação dos mais elevados sentimentos com quantos venhamos a conviver, refletindo nas atitudes o espírito do bem em nossas vidas." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

“Incontáveis almas vitoriosas e felizes jamais ouviram falar em Espiritismo, porque serviram única e exclusivamente à religião cósmica da caridade: muito amaram.” (Do livro Mereça Ser Feliz)

“O que nos faz alvo da amorável complacência dos Planos Maiores é a intenção. É o nosso fio de ligação com a energia cósmica do amor.” (Do livro "Lírios da Esperança")

“Caridade com o próximo, porém igualmente conosco. A luz com a qual clareamos os caminhos alheios é credito perante a vida, entretanto, somente a luz que fazemos no íntimo nos pertence e é fonte de liberdade e equilíbrio, paz e riqueza na alma.” (Do livro "Mereça Ser Feliz")

"Aceitemos por primeira lição, nas lides de trabalho espiritual, o respeito incondicional e cooperativo às iniciativas que ainda não entendemos ou das quais discordamos." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

“A dor que redime não é aquela que tolera com revolta, mas a que suporta com constante busca pelo melhor a cada instante. Jamais desistindo de encontrar a solução em si mesmo para as lutas do caminho. Sem isso, é a morte da esperança.” (Do livro "Prazer de Viver")

“Conhecer-se é libertar-se da ignorância, adquirir domínio e poder perante si mesmo.” (Do livro "Mereça Ser Feliz")

"A idealização que fazemos de nosso próximo é uma imagem com vida própria nos escaninhos da mente. São programas mentais com capacidade de influir decisivamente na formação dos sentimentos. São modelos que criamos para definir os outros na avaliação pessoal." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

“Porque o ritmo do Universo é o amor, seja em que instancia for. Da bactéria ao anjo, a alma da vida é o amor. Compaixão, misericórdia, tolerância e solidariedade são expressões da Bondade Celeste. Juntas, constituem a força de atração para o progresso.” (Do livro "Lírios da Esperança")

"Para quem anseia por liberdade e leveza em torno de seus passos, não existe atitude mais apropriada do que extrair o lado melhor da vida, dos acontecimentos e do próximo, mantendo sempre o olhar na luz que clareia o raciocínio e sublima o sentimento." (Do livro "Diferenças não são Defeitos")

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Obras de Ermance Dufaux II

Mais algumas das obras do Espírito Ermance Dufaux:


RECEITAS PARA A ALMA
Autor(a): Wanderley Soares de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux














Mensagens de conforto e esperança, com pequenos lembretes sobre a aplicação do Evangelho para o dia-a-dia.


PRAZER DE VIVER
Médium: Wanderley Soares de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux
















Milhões de pessoas lutam para sobreviver sem existir. Passam pela vida sem permitir que ela passe por sua alma. Acordar todos os dias com a chama da esperança acesa. Acreditar que merecemos ser felizes. Saber escolher os caminhos para construir os nossos sonhos e desejos de modo digno. Gostar do mundo e das pessoas como são. Ter uma relação de amor consigo mesmo. Saber sorrir nos momentos mais difícies. Ser grato e alegre em todas as situações. Divertir no cumprimento do dever. Alcançar leveza no ato de viver. Quem não gostaria de experimentar esses prazeres da vida? Ermance Dufaux, com seus ensinos neste livro nos auxilia a pensar caminhos para alcançar essas metas existenciais, a fim de que nossas reencarnações sejam melhor vividas e aproveitadas.


PÉROLAS DE ERMANCE DUFAUX
Médium: Wanderley Soares de Oliveira
Espírito: Ermance Dufaux











Seleção primorosa de frases do livro "Escutando Sentimentos". Acompanha o CD de meditação do "Encontro com a Criança Interior". Pequenos trechos para reflexão contendo imagens apropriadas a cada pérola que foi escrita pela amiga espiritual Ermance Dufaux.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A Cidade Natal de Ermance

Um pouco sobre a cidade onde nasceu e viveu Ermance Dufaux:


Fontainebleau (França)




Fontainebleau combina o modernismo do INSEAD (gramados, prédios com muito vidro, aparência de campus universitário americano) com o aspecto histórico e arcano de vários marcos antigos, tais como o lendário castelo restaurado nos anos 90 pela família Rockefeller, com mais de mil aposentos e quilométricos jardins, a antiga Igreja de Saint-Louis e o Convento Carmelita.


Chateau de Fontainebleau


O Chateau de Fontainebleau sintetiza quatro séculos da História Francesa: de François I a Napoléon III. Essa “casa dos séculos” serviu de residência de verão aos soberanos da França. Além da decoração suntuosa de seus quartos e galerias, o Château de Fontainebleau também abriga dois museus nacionais: Napoléon Museum e Chine Museum.




Fontainebleau desenvolveu-se progressivamente graças à constante presença da Corte e, o que era antes uma antiga cidade real, tornou-se gradativamente uma cidade imperial. A notoriedade da cidade é reforçada pela presença de escolas famosas, instituições militares de prestígio e ainda pelos eventos culturais e esportivos que realiza, principalmente o hipismo.

No século XII, o Chatêau e a floresta se uniam para a caçada real. Hoje, onze milhões de pessoas visitam a mais famosa floresta da França todo ano, a qual possui cerca de 49.400 acres de extensão. Entre essas pessoas estão amantes da natureza, alpinistas, ciclistas, etc.

O rio Sena banha as redondezas leste e norte da cidade, e ao longo do rio, encontram-se várias vilas e cidadezinhas que inspiraram a maioria dos renomados pintores impressionistas, entre elas a vila de Barbizon – berço de muitos pintores, onde se respira arte e encontram-se comidas deliciosas – ; a cidade de Avon, com suas ruas antigas e a igreja Saint-Pierre (séc. XII); a medieval cidade de Moret, imortalizada por Sysley e Nemorus, antiga capital da região turística de Gântinais.

(Angelus, Jean-François Millet, em Barbizon, França, 1859, conservado no Museu Orsay de Paris)

Durante o último século, a charmosa vila de Barbizon, às margens da floresta de Fontainebleau, tornou-se um importante centro de pintores de paisagens. Aqui, artistas como Jean-François MILLET e Théodore ROUSSEAU deram início ao Impressionismo.

Do INSEAD à principal rua da cidade dá para se ir a pé. Na Rue Grande encontram-se ótimos hotéis, comércio variado e muitos restaurantes de todos os tipos, gostos e etnias, os quais se espalham por toda a cidade. Aos domingos — de manhã até o meio da tarde — Fontainebleau enche-se de todo o tipo de feiras. Nos fins de semana é grande o afluxo de turistas à cidade, principalmente ao castelo.


Fonte: Blog da Ale

Imagens: Blog da Ale / Estrolábio / webtourist.net

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Atualidades Espíritas


Assédio Moral, um Enfoque Espírita


Assédio moral prejudica a "saúde" profissional, física e mental do funcionário

Ione Luques - O Globo Online

RIO - Assédio moral no trabalho, também conhecido como violência moral ou terror psicológico, não é nenhuma novidade no meio profissional. É tão antigo quanto o próprio trabalho. Normalmente confundido com o assédio sexual, o assédio moral é a exposição dos trabalhadores a situações humilhantes, constrangedoras e vexatórias, que podem se tornar repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício das funções do empregado. Especialistas consultados pelo O GLOBO ONLINE afirmam que é mais comum em relações hierárquicas autoritárias, em que predominam condutas negativas, desumanas e, muitas vezes, sem ética, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinados.

Normalmente, a atitude desestabiliza a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a empresa, podendo forçá-la a desistir do emprego. O assédio moral, na avaliação dos especialistas, é um comportamento deselegante, impróprio em qualquer situação. Para Fátima Sanchez, gerente de Desenvolvimento Pessoal da Personal Service, demonstra falta de senso moral, além de demonstrar falta dos princípios básicos da liderança e da educação.

É um ato desrespeitoso, completamente equivocado e, principalmente, que evidencia fraqueza e covardia por parte do autor - completa André Moraes, da Talento e Profissão.

Este tipo de assédio, diz Fátima Sanchez, é caracterizado pela formação cultural de um chefe ou de um colega que se julga superior ou com poder de direito e não de fato. Ela acrescenta que o líder de fato não precisa utilizar este artifício para liderar.

- É muito utilizado por chefes que desconhecem o assunto ou psicologicamente se acham inferiores. São pessoas frustradas, que têm situações pessoais não resolvidas fora da empresa e pegam um subordinado como bode expiatório para descarregar sua frustração ou ira.


Efeito devastador

Os especialistas apontam que a humilhação repetitiva e de longa duração interfere na vida do funcionário de modo direto. Segundo a consultora Luisa Chomuni Alves, seu poder de destruição vai além da sua prática, acarretando prejuízos práticos emocionais para o funcionário e a empresa, comprometendo sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saúde física e mental, que podem evoluir para a incapacidade de trabalhar, desemprego ou até mesmo a morte. Uma pessoa que é assediada moralmente pode apresentar sintomas de stress, ser cabisbaixo, quieto, calado, triste, ter pressão alta e até diabetes, ressalta Fátima Sanchez.

- Alguns "sintomas" podem caracterizar o assediado moralmente, como senso de injustiça, revolta, perda de auto-estima e desânimo - acrescenta André Moraes, lembrando que, conseqüentemente, o desempenho profissional cai, o que ajuda a piorar a situação.

Segundo ele, poucos são aqueles que sabem lidar com este tipo de situação. Certamente, a saúde pode ser afetada, pelo próprio moral abalado.

- Por vezes, materializam-se outros problemas que podem ser diretamente associados à questão: alcoolismo, drogas e, em caso extremo, suicídio.

Notícia publicada pelo O Globo Online, em 14 de março de 2008.


Enfoque Espírita


Por Carlos Miguel Pereira*

A notícia nos relata uma situação recorrente nos nossos dias e que, podendo não nos afetar diretamente, certamente teremos conhecimento de fatos similares através de familiares e amigos. O assédio moral é um conjunto de ações deliberadas e continuadas no tempo, que têm como objetivo o descrédito, a humilhação e a fragilização do funcionário dentro do local de trabalho, provocando paralelamente a degradação do ambiente laboral, a aniquilação psicológica da vítima e desencadeando sintomas físicos e doenças como hipertensão, crises de ansiedade e depressão, etc.

Os alvos preferenciais e mais expostos a este tipo de assédio moral são os trabalhadores com menor formação e com um emprego precário, que vivem com dificuldades econômicas tremendas, fazem de tudo para segurar os empregos e não têm saída fácil para as humilhações e pressões recebidas. Como são coagidos a conviver diretamente com este tratamento injusto e cruel durante a grande parte do dia, se não possuírem resistências psicológicas que lhe permitam superar esse ambiente que desassossega, que retira a serenidade, que gera uma desconfiança das próprias capacidades e potencialidades, irão acumular essa perturbação, acabando por se tornar um fardo que passarão a carregar para qualquer lugar onde forem.

Mas, por quê? Por que é que isso foi acontecer justamente comigo? Estarei sendo castigado pelo mal que fiz aos outros noutras vidas?

Meditemos nesse trecho do livro "O Homem Novo", de José Herculano Pires: "O Espiritismo nos ensina a aceitar a realidade para vencê-la, muito longe de ser uma Doutrina Conformista, é uma Doutrina de luta: O Espírita deve lutar diariamente para superar o mundo e superar-se a si mesmo."

A complexidade de nossas experiências reencarnatórias está longe de nossa capacidade de entendimento, mas todos queremos compreender e ser compreendidos. Não podemos olvidar que as causas de nossos obstáculos presentes estão muitas vezes no passado, mas muito mais importante que saber quais são essas causas, é ultrapassar esses obstáculos. Como constatamos pelas sábias palavras de Herculano Pires, muito longe de se poder considerar uma doutrina conformista, o Espiritismo é uma doutrina de luta. Mas não é uma luta contra ninguém, nem mesmo contra nós mesmos. É uma doutrina de luta por nós, pela nossa transformação moral e, através dessa renovação íntima, é uma luta por um objetivo ainda mais abrangente: Pela transformação moral da humanidade. As dificuldades e as contrariedades que a vida vai colocando no nosso caminho não são processos de punição ou de castigo, mas antes mecanismos de educação e de reparação. É através do esforço de superação das dificuldades que iremos moldar e fazer crescer o nosso Espírito, possibilitando que possamos subir mais um pouco na escala evolutiva. Não é pelo conformismo passivo em relação às dificuldades que evoluímos. Crescemos pelo esforço de superação dessas dificuldades que inevitavelmente produzirão em nós, experiência e conhecimento.

Em "O Livro dos Espíritos", Allan Kardec adverte-nos sobre as tentações e as dificuldades de exercer o poder, no Capítulo IX, acerca da Lei da Igualdade: "A posição elevada no mundo e a autoridade sobre os semelhantes são provas tão grandes e arriscadas quanto a miséria; porque, quanto mais o homem for rico e poderoso mais obrigações tem a cumprir, maiores são os meios de que dispõe para fazer o bem e o mal. Deus experimenta o pobre pela resignação e o rico pelo uso que faz de seus bens e do seu poder. A riqueza e o poder despertam todas as paixões que nos prendem à matéria e nos distanciam da perfeição espiritual."

Nessa vida, existem pessoas que têm uma enorme necessidade e sentem um grande prazer em mandar e ser obedecidas, compensando nessa possibilidade de exercer o autoritarismo algumas decepções íntimas e neuroses perturbadoras. Esse desejo do poder é uma das grandes ambições do Homem, esquecido das enormes armadilhas e tentações que esse poder exerce sobre quem o detém. Como nos diz Kardec, ter poder é de uma complexidade e dificuldade enorme, mas sobretudo é de uma responsabilidade que não pode ser menosprezada. A autoridade sadia é confiante e inspira confiança, é assente no equilibrío, firmeza, justiça, racionalidade e tem como principal objetivo o bem comum, jamais abusando da influência que detém para assim prejudicar os outros. Quem faz uso dessa autoridade sã, reconhece que o poder de que dispõe, muito mais do que algo de que se deva envaidecer ou sentir orgulho, é uma prova de grande responsabilidade, uma oportunidade concedida para orientar e ajudar os que o rodeiam a serem melhores, pessoal e profissionalmente.

O assédio moral desenvolve-se não apenas porque o assediador tem poder, mas porque ele coloca esse poder a serviço da sua mente confusa e deturpada. Como resultado de uma deformação ética e moral adquirida, de sentimentos de frustação, insegurança e inferiodade camuflados, o poder é o instrumento perfeito para agir, escondendo as suas reais motivações, que normalmente são: Preconceito (raça, sexo, religião, etc), inveja, ciúme, vingança (por divergências antigas, assédio sexual sem sucesso, denúncias), ambição excessiva, necessidade de se sentir superior, etc.

Na questão 115 de "O Livro dos Espíritos", Allan Kardec faz a seguinte pergunta aos Espíritos: "Dos Espíritos, uns terão sido criados bons e outros maus?" A resposta é a seguinte: "Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem saber. A cada um deu determinada missão, com o fim de esclarecê-los e de os fazer chegar progressivamente à perfeição, pelo conhecimento da verdade, para aproximá-los de si. Nesta perfeição é que eles encontram a pura e eterna felicidade. Passando pelas provas que Deus lhes impõe é que os Espíritos adquirem aquele conhecimento."

Para a Doutrina Espírita, a causa do mal é a ignorância. À medida que o Espírito vai ultrapassando os estágios dos instintos e sensações, e passa a vivenciar o estágio mais evoluído dos sentimentos; à medida que aprende a amar e compreender, decidido a não cometer os erros passados e a encarar a vida como uma oportunidade dourada para conhecer, crescer e amar, o mal vai sendo gradualmente substituído por erros menores. Vamos continuar a cometer erros? É inevitável… porque nós ainda temos muito que aprender, mas teremos, ao mesmo tempo, melhores condições para identificar e corrigir esses erros.

Confrontados com uma situação de assédio moral, deveremos seguir a máxima do mestre de Nazaré em resposta a pergunta de Pedro: "Perdoarás não sete, mas setenta vezes sete!" Mas o ato de perdoar não exige que ignoremos ou neguemos nossa mágoa, apenas que possamos compreender que todos somos Espíritos em evolução, que não poucas vezes cometemos erros e que muitas outras não sabemos o melhor rumo a dar a nossos impulsos e tendências. Precisamos nos libertar do ressentimento, para que ele não se materialize em nosso interior, trazendo-nos dores e desequilíbrios, tanto externos como internos.

Isso significa que devemos ficar parados, agüentando e sofrendo resignados a humilhação? Não! Porque, como já foi dito, não é pelo conformismo passivo em relação às dificuldades que evoluiremos, mas sim pelo trabalho de superação dessas difuculdades. Necessário é que façamos uso de uma postura que limite a ação do assediador e tiremos proveito dos recursos jurídico-legais de que dispomos, que estão ao serviço de todos os cidadãos para que estes desempenhem da forma mais livre e justa os papéis que nos são atribuídos na sociedade. Ao não agirmos perante essas situações vexatórias, estamos a compactuar e a instigar a que elas se multipliquem no tempo, conosco e possivelmente com outros.

Lembremos sempre as extraordinárias palavras de Martin Luther King: "O que me preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons".

* Carlos Miguel Pereira trabalha na área de informática e é morador da cidade do Porto, em Portugal. Na área espírita, é trabalhador do Centro Espírita Caridade por Amor (CECA), na cidade do Porto, e colaborador regular do Espiritismo.net

terça-feira, 14 de junho de 2011

Aprender a Amar


Escutamos freqüentemente frases que constituem atestados de incompatibilidade ou admiração instantânea em relacionamentos, emitidas rotineiramente nas diversas rodas de convivência, definindo alguns sentimentos que temos pelo outro como se fossem predestinados e definitivos.

Convivemos, comumente, “ao sabor” daquilo que sentimos espontaneamente por alguém.

Consideremos nesse tema que o Amor não é um automatismo do sentir no aprendizado das relações humanas, como se houvessem fatores predisponentes e inderrogáveis para gostar ou não dessa ou daquela criatura.

Amar é uma aprendizagem. Conviver é uma construção.

Não existe Amor ou desamor à primeira vista, e sim simpatia ou antipatia. Amor não pode ser confundido com um sentimento ocasional e especialmente dirigido a alguém. Devemos entendê-lo como O sentimento Divino que alcançamos a partir da conscientização de nossa condição de operários na obra universal, um “estado afetivo de plenitude”, incondicional, imparcial e crescente.

Ninguém ama só de sentir. Amor verdadeiro é vivido. O atestado de Amor verdadeiro é lavrado nas atitudes de cada dia. Sentir é o passo primeiro, mas se a seguir não vêm as ações transformadoras, então nosso Amor pode estar confundido com fugazes momentos de felicidade interior, ou com os tenros embriões dos novos desejos no bem que começamos a acalentar recentemente.

O Amor é crescente no tempo e uniforme no íntimo, não tem hiatos. Mesmo entre aqueles em que a simpatia brota instantaneamente, Amor e convivência sadia serão obras do tempo, no esforço diário do entendimento e do compartilhamento mútuo do desejo de manter essa simpatia do primeiro contato, amadurecendo-a com o progresso dos elos entre ambos.

Sabendo disso, evitemos frases definitivas que declarem desânimo ou precipitação em razão do que sentimos por alguém. Relações exigem cuidados para serem edificadas no Amor, e esse aprendizado exige os testes de afeições no transcorrer dos tempos.

E se nos guardamos na retaguarda moral e afetiva, esperando que os outros melhorem e se adaptem às nossas expectativas para com eles, a fim de permitirmo-nos amá-los, então, certamente, a noção de gostar que acalentamos é aquela na qual ainda acreditamos que Deus faculta isso como Dom Divino e natural em nossos corações conforme a sua vontade.

Encontrando-nos nesse patamar de evolução, nada mais fazemos que transferir para o Pai a responsabilidade pessoal do testemunho sacrificial, na criação de elos de libertação junto a quantos esposam nossos caminhos nas refregas da vida.

Amor não é empréstimo Divino para o homem e sim aquisição de cada dia na aprendizagem intensiva de construir relacionamentos propiciadores de felicidade e paz.

Espíritas que somos temos bons motivos para crer na força do Amor, enquanto a falta de razões convincentes tem induzido multidões de distraídos aos precipícios da dor, porque palmilham em decidida queda para as furnas do desrespeito, da lascividade, da infidelidade, da vingança e da injustiça, em decrépitas formas de desamor.

A terapêutica do Amor é, sem dúvida, a melhor e mais profilática medicação do Pai para seus filhos na criação.

Compete-nos, aos que nos encontramos à míngua de paz, experimentá-la em nossos dias, gerando fatos abundantes de Amor, vibrando em uníssono, com as sábias determinações cósmicas estatuídas para a felicidade do ser na aquisição do glorioso e definitivo título de Filhos de Deus.

E se esse sentimento sublime carece aprendizagem, somente um recurso poderá promover semelhante conquista: a educação.


Do livro "Laços de Afeto", de Wanderlei Soares Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ermance - Uma Biografia em Vídeo

Um documentário da "TV Mundo Maior" que narra a vida e o trabalho mediúnico de Ermance Dufaux.


domingo, 12 de junho de 2011

Mensagem da Semana


Ouvir a Mensagem


Indagações Oportunas


“E Jesus, respondendo, disse-lhes: Eu também vos perguntarei uma coisa; se ma disserdes, também eu vos direi com que autoridade faço isto.” Mateus, 21:24


Periodicamente, examine consigo mesmo,como esta sendo feita a sua trilha pessoal na iluminação da sua consciência.

Autoridade nesse terreno é fruto de lucidez acerca de seu mundo pessoal.

Deixei de cumprir algum dever?

Alguém tem algo a se queixar de mim?

Que posso fazer para ser mais útil?

Esqueci de cativar algum laço afetivo?

Estou zelando pelo meu corpo físico?

O que gostaria de alcançar hoje que ainda não consegui?

Quais sentimentos tem predominado em minha vida emotiva?

Adiei alguma decisão necessária?

Existe algo que preciso esquecer?

Quem estará precisando de mim neste momento?

Como estaria na vida espiritual se a morte me visitasse hoje?

Tenho conseguido viver o presente?

Quantas e quantas perguntas você pode enumerar e fazer, oportunamente, em favor do seu autoconhecimento.

Muitas vezes, saber construir indagações significa abrir caminhos nos quais a ignorância tem procurado dominar.


Ermance Dufaux

(Do livro: "Receitas para a Alma”, de Wanderley de Oliveira Soares, pelo Espírito Ermance Dufaux)

sábado, 11 de junho de 2011

Obras de Ermance Dufaux I

Iniciamos com essa postagem a apresentação das obras de autoria do Espírito Ermance Dufaux, psicografadas pelo médium Wanderley Soares de Oliveira com respectivas sinopses mostrando dois dos seus livros mais vendidos na atualidade.


UNIDOS PELO AMOR
Wanderley S. de Oliveira / Ermance Dufaux - Cícero Pereira



















A série ‘Atitudes do Amor’ faz parte do programa educacional centrado em valores humanos e apresentado por Bezerra de Menezes. Os autores espirituais, lavrando no terreno árido do orgulho, prosseguem com a semeadura a favor da reeducação das tendências e atitudes através de ‘Unidos pelo Amor’.

Trata-se de convite ao debate sobre a análise ético-comportamental e relacional dos espíritas, num esforço de cooperação para o apressamento de novos e mais felizes dias tanto na comunidade doutrinária quanto na sociedade como um todo, a recordar a afirmativa de Kardec: “Quando os homens forem bons, organizarão boas instituições”.




REFORMA ÍNTIMA SEM MARTÍRIO
Wanderley S. de Oliveira / Ermance Dufaux



















"Ermance com rara felicidade consegue penetrar nos meandros das questões psíquicas, esclarecendo-nos quanto a estes mecanismos mentais cruéis que nos fazem sofrer ao invés de redimir, apaixonar ao invés de amar, auto flagelar ao invés de perdoar, por isso, de tudo que temos lido a respeito, esse a nosso ver, é um manual de cabeceira para ser lido, meditado, buscando a sua aplicação no cotidiano de nossas vidas.

Ermance primeiro esclarece, depois exorta, concitando a uma tomada de atitude consciente, para que possamos nos resgatar dos labirintos mentais para as claridades do amor." (Dr. Jaider Rodrigues de Paula Diretor do Hospital Espírita André Luiz - BH - MG Diretor da AMEMG - Associação Médico Espírita de Minas Gerais)

sexta-feira, 10 de junho de 2011

A Música e o Espírito: Seasons - Yanni

A transição das estações do ano é mostrada de uma maneira pessoal, ao som da belíssima canção instrumental "Seasons", do músico grego Yanni.


quinta-feira, 9 de junho de 2011

Ermance Dufaux no Correio Fraterno

A Sutileza de uma Proposta de Mudanças


O nome da médium que auxiliara Kardec no trabalho da codificação passou a ser ventilado no meio espírita desde que, em Belo Horizonte, o médium Wanderley de Oliveira deu início ás publicações de trabalhos atribuídos a ela, como também a outros espíritos.

Dez anos passados, com mais de uma dezena de livros publicados, tais obras vêm chamando a atenção do público espírita, pela profundidade com que trata sobre a paz interior e a harmonização na seara espírita.

A edição Correio Fraterno 421 (maio junho 2008) publicou entrevista completa com o médium Wanderley de Oliveira.


Quando você começou o trabalho de psicografia?

Wanderley de Oliveira: Minha trajetória, especialmente com a mediunidade, começou em 1978. Participei de reuniões, estudos, preparação, esclarecimento e somente depois de 22 anos de exercício intenso, com base em Kardec, Jesus, Emmanuel, foi que os espíritos me chamaram para o que eu ainda não havia feito: a psicografia. Esses 22 anos foram de preparo, de contato comigo mesmo. Tive bom antecedente, incluindo crises, lutas, testemunhos inerentes a maior parte os espíritas. E não desisti. Fui atrás, primeiro, de minhas repostas - e continuo indo –, o que me deu condição mental e emocional para que Ermance Dufaux e outros espíritos pudessem trabalhar.

Qual é a proposta de Ermance Dufaux, espírito-chave deste trabalho de você vem psicografando e que tem chamado intensamente a atenção do público espírita?

Wanderley de Oliveira: A proposta de Ermance, na verdade, é a proposta de Bezerra de Menezes, que consta na mensagem Atitude de Amor [inserida no livro A Seara Bendita], que aborda a necessidade da humanização da seara espírita. A doutrina é maravilhosa, no entanto, nossa convivência ainda é um tanto institucional, com os valores humanos nem sempre fazendo parte desse processo. Humanizar significa ter um pouco mais de afeto entre nós, construir relações mais autênticas e saber superar os nossos conflitos, porque eles existem. E o que acontece? Vários grupos sendo criados a partir de conflitos não sanados, permanecendo-se assim. Um dos fatores responsáveis por isso é a própria inabilidade em lidarmos com nosso mundo íntimo, com nossas mágoas, e o movimento espírita sofre as conseqüências, vendo formar-se ilhas que não se comunicam, com raras exceções, situação totalmente incoerente com a proposta da doutrina, que é a fraternidade.

Por que reforma íntima sem martírio?


Wanderley de Oliveira: A proposta é que a gente continue exercitando o projeto de melhoria espiritual que a doutrina traz, mas sem as dores adicionais, por falta de sabermos lidar com nosso mundo íntimo. Ermance diz que nós não crescemos sem dores, mas uma são as do crescimento e a outra, a do martírio, da severidade com a qual nós tratamos o nosso mundo interior, esquecendo que somos humanos, que precisamos fazer nosso progresso sem querer dar saltos e libertos das questões provacionais terrenas de hora para outra.

Existem outros trabalhos ditados por espíritos nesta mesma linha: Joanna de Ângelis, Rammed. Qual o diferencial deste trabalho que se realiza por seu intermédio?

O trabalho está muito em sintonia com todos esses benfeitores. Eu acredito mesmo que é uma mesma equipe que trabalha com o objetivo de nos levar a um tempo novo. A humanização já era tema de Joanna de Ângelis antes mesmo que Ermance viesse trazer suas mensagens. É tema também de outras áreas religiosas, empresariais. É uma adaptação prática e realista para as nossas necessidades.

Este trabalho aponta questões delicadas do movimento espírita atual, citando a dificuldade de se confrontar opiniões e o institucionalismo. Como o movimento espírita tem enxergado essas afirmações?


Da melhor forma possível. O nível de aceitação é de impressionar. Evidente que existe a resistência dos que não conseguem entender a proposta. Mas é infinitamente superior o número dos que não só enxergam , mas vêm se beneficiando. Acho que essas resistências surgem porque as pessoas, de uma maneira geral, se debatem com lutas interiores, e é difícil se olhar e se enxergar, numa ação necessária, quando são enfocados esses temas.

Quem é Ermance Dufaux?


Ermance De La Jonchére Dufaux nasceu em 1841, na cidade francesa Fontainebleau. Filha de rico produtor de vinho e trigo, com apenas 12 anos foi diagnosticada portadora de distúrbios nervosos, que faziam vítimas na América, fazendo-as entrar numa espécie de transe histérico e a receber hipotéticas mensagens do Além. Embora fosse católico, o senhor Dufaux preferiu acreditar que sua filha não era doente ou possessa, mas apenas uma intermediária entre os vivos e os mortos.

Segundo o historiador Canuto Abreu, a família Dufaux conheceu Allan Kardec na noite de 18 de abril de 1857. O Codificador trabalhos do Mestre. Os laços entre os dois se estreitaram e ela se tornou a principal médium das reuniões domésticas do professor Rivail.


Fonte: SEED (Sociedade Espírita Ermance Dufaux)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Informar e Conscientizar


"A todos os homens facultou Deus os meios de conhecerem sua lei ? ”

“Todos podem conhecê-la, mas nem todos a compreendem. Os homens de bem e os que se decidem a investigá-la são os que melhor a compreendem. "Todos, entretanto, a compreenderão um dia, porquanto forçoso é que o progresso se efetue.”

O Livro dos Espíritos – Questão 619



Jesus estabeleceu o ensinamento: conhecereis a Verdade e ela vos libertará(1). Vários corações carregados de nobres intenções ventilam, a partir desse ensino, uma interpretação um tanto discriminatória ao asseverarem que a Verdade, nesse caso, seria o Espiritismo. Se bastasse conhecer a Verdade Espírita estaríamos então, todos os que travaram contato com ela, em plenitude e paz experimentando a liberdade. Porém, parece que não é bem assim...

A Verdade que conheceremos e nos libertará será sempre a Verdade sobre nós mesmos, e a Doutrina será uma senda segura para a aquisição dessa conquista na alma: a consciência de si que nos ensejará elementos para transitar na evolução com felicidade.

O Espiritismo é meio, a educação Divina é o fim.

Conscientizar é tomar contato com os conteúdos velados da mente estabelecendo conexão com o ser divino que há em nós. Tomemos como exemplo o orgulho: sabemos que somos orgulhosos, estamos informados disso, mas não temos consciência plena de suas manifestações, dos detalhes de sua ação. Essa a diferença entre conhecer e saber.

A conscientização surge quando aprendemos a utilizar a informação para a transformação.

A informação é atividade cognitiva que só abrirá portas para a conscientização quando houver o aporte dos processos renovadores da sensibilidade humana.

O conhecimento é capaz de acionar desejos novos, excitar planos e mudanças, mas somente o sentimento é capaz de movimentar a vontade firme para manter e concretizar caminhos novos.

Como candidatos à melhora espiritual, torna-se imperioso habituarmo-nos à constante lealdade consciencial, a fim de exercer avaliações sobre qual é nossa verdadeira condição espiritual. Estamos apenas informados ou já temos escalado o íngreme monte da conscientização? Apenas repetimos textos e princípios ou já nos esforçamos por absorvê-los nas particularidades da vivência? Apenas estudamos ou já nos habilitamos ao serviço desafiante de descobrir na existência como usar o tesouro da cultura para o crescimento?

Uma criatura informada poderá realizar amplos vôos nas realizações do bem, entretanto, somente os conscientizados saberão como usar essas realizações para sua libertação pessoal.

O Espiritismo é precioso tesouro de paz. Sua mensagem é um horizonte de esperança que se abre para os aflitos e espoliados da humanidade. Compete ao esforço individual o mérito das conquistas que surgirão quando o homem deixar os domínios da crença contemplativa e das convenções religiosistas, passando a operar, decisivamente, na formação de novos hábitos através da auto-educação persistente e valorosa.

A Terra soçobra em informações sobre a existência de Deus. Resta agora sentir Deus, compreendê-lo. Nas esferas abençoadas do Espiritismo, igualmente, cuidemos para não empanturrar o cérebro e esquecer de digerir com o coração.

Conhecer não basta, é necessário transformar-se para melhor.
Conhecer é ter opções, mas só a conscientização oferece respostas.
Conhecer auxilia, conscientizar é caminho para ser feliz.

A dicotomia íntima entre conhecimento espiritual e realidade pode provocar severas lutas no aprimoramento pessoal. A esse respeito chamamos para uma reflexão sobre a urgência de investigarmos cuidadosamente os estudos doutrinários, adequando-os sempre ao mundo dos sentidos individuais, instaurando o “construtivismo moral”, usando a flexibilização nos conteúdos, aprendendo a problematizar ao invés de “colecionar” respostas prontas, acostumando-se mais a reciclar que repetir padrões, desafiando o mundo das descobertas.

Esse “construtivismo moral” se viabilizará pela instauração de grupos pequenos que aprendam a se amar e respeitar, nos quais se possa falar das singularidades, dos sentimentos, da formação pessoal de vida, suas lutas, seus conflitos, buscando todos juntos, pelas vias da solidariedade e da fraternidade, os caminhos morais nobres, fazendo descobertas sobre os valores humanos, aliviando as dores íntimas, encontrando respostas para as angústias humanas.

Para isso, é imperativa a renovação pedagógica dos métodos que exigirão muita humildade e acendrada disposição de aprender, principalmente da parte de quem guarda maior lastro na experiência da espiritualização.

Em suma, constata-se claramente que a informação espírita é luz que se acende, contudo, manter-se na luz é uma questão de consciência e sentimento renovado.

Informados já estamos, falta-nos agora sentir o que já sabemos, porque sem sentir jamais adquiriremos a base evolutiva da conscientização, a compreensão, conforme assinalam os Bons Espíritos na referência de apoio acima.


Ermance Dufaux

Do livro "Mereça ser Feliz", Wanderley Soares de Oliveira, pelo Espírito Ermance Dufaux.

^