sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O Arauto Pitágoras



Profeta, místico, filósofo, astrônomo e matemático grego nascido em Sámos, na ilha jônia de Sámos, na Anatólia, cidade rival comercial e a cerca de 50 km de Mileto, numa das ilhas do norte do arquipélago do Dodecaneso, próxima às hoje costas turcas, Ásia Menor. Fundador da Escola de Crotona, responsável pela descoberta dos números irracionais, o maior feito teórico dos pitagóricos e do famoso Teorema de Pitágoras: em um triângulo retângulo o quadrado da hipotenusa é a soma dos quadrados dos catetos. Criador da chamada irmandade pitagórica, de natureza essencialmente religiosa, pioneiro do conceito de que a Terra era redonda e que o sol era o centro do universo.

Filho de Mnesarco, um rico comerciante de Sámos, foi contemporâneo de Buda (563-483 a. C.), Confúcio (551-479 a. C.), Lao-Tsé (século VI a. C.) e do Faraó Amasis (570-526 a. C.). Interessado em ciência e filosofia, viajou, ao que parece, pelo Egito, Fenícia, Babilônia, Índia e Pérsia e visitou santuários gregos. Como Tales (624-548 a. C.) e influenciado pela sua escola, embora não se saiba se algum dia se encontraram, estudou geometria no Egito, astronomia na Babilônia e na Índia, adquiriu mais conhecimentos de matemática e astronomia e também muitas ideias religiosas.

Esteve no Egito e na sua volta a terra natal (532 a. C.) por aversão à tirania de Polícrates, tirano em Samos (537-522 a. C.) e, defensor de atitudes idealistas na ciência e na filosofia, deixou a ilha e estabeleceu-se em Crotona (530 a. C.), na Magna Grécia, hoje sul da península Itália, onde fundou uma sociedade comunitária secreta (540 a. C.) voltada para o estudo da Filosofia, das Ciências Naturais e da Matemática, além de vegetariana, cujos membros alimentavam-se a base de feijões-lentilhas e abstenção total de carne. Esta sociedade tinha bases matemáticas e filosóficas e, ao mesmo tempo religiosa, de tendências aristocráticas, onde o estudo da matemática e da filosofia era a base moral para a conduta e onde seus membros eram proibidos de aceitarem pagamentos em caso de partilhar seus conhecimentos com outros e que visava à reforma social e política da região.

Rapidamente, os membros dessa sociedade apaixonaram-se pelos números e pelas formas, passando a vê-los por toda a parte e concluindo que o Universo era regido por uma inteligência superior, essencialmente matemática. Os pitagóricos dedicaram-se à ciência de forma anônima, assinando todos os trabalhos em nome da fraternidade pitagórica ou simplesmente Pitágoras.

Defendia o princípio de que a origem de todas as coisas estava nos números, o atomismo numérico, ou seja, adotava os números como expressão da razão absoluta. Por exemplo, o espaço e o tempo eram pensados como consistindo de pontos e instantes. Na Geometria deram demonstração geral a vários teoremas, em especial ao que veio a ser denominado Teorema de Pitágoras, conhecido, sem prova, séculos antes, por egípcios, chineses e mesopotâmios. Descobriram os números amigos e números perfeitos, sabiam somar progressões aritméticas e conheciam o cubo, o tetraedro e o dodecaedro. Lembrar que o octaedro e o icosaedro foram descobertos dois séculos depois, por Taeateto.

A irmandade foi desfeita por uma conspiração que pôs fim a sua hegemonia em grande parte da Magna Grécia. Alguns discípulos emigraram e o próprio criador foi desterrado para Metaponto, onde morreu.

Na religião, como crença religiosa fundamental, ensinava a transmigração das almas. Pode ser considerado como um reformador religioso que realizou uma modificação fundamental na doutrina órfica, transformando o sentido da via de salvação e no lugar do deus Dioniso colocou a matemática. A ideia de que a Matemática trata de conceitos abstratos, acima da realidade física, a crença em que o mundo físico pode ser estudado através da Matemática e a concepção de Deus como o Grande Arquiteto do Universo são legados pitagóricos que sobrevivem até hoje. Além dos feito teóricos dos pitagóricos, o seu mérito máximo consistiu em haverem provocado uma verdadeira epidemia de interesse pela Matemática, que contagiou a maioria das cidades-estados da Grécia de então.

O Pensamento Filosófico de Pitágoras:

“Honra em primeiro lugar os deuses imortais, como manda a lei.
A seguir, reverencia o juramento que fizeste.
Depois os heróis ilustres, cheios de bondade e luz.
Homenageia, então, os espíritos terrestres e manifesta por eles o devido respeito.
Honra em seguida a teus pais, e a todos os membros da tua família.
Entre os outros, escolhe como amigo o mais sábio e virtuoso.
Aproveita seus discursos suaves, e aprende com os atos dele que são úteis e virtuosos.
Mas não afasta teu amigo por um pequeno erro,
Porque o poder é limitado pela necessidade.
Leva bem a sério o seguinte: Deves enfrentar e vencer as paixões:
Primeiro a gula, depois a preguiça, a luxúria, e a raiva.
Não faz junto com outros, nem sozinho, o que te dá vergonha.
E, sobretudo, respeita a ti mesmo.
Pratica a justiça com teus atos e com tuas palavras.
E estabelece o hábito de nunca agir impensadamente.
Mas lembra sempre um fato, o de que a morte virá a todos;
E que as coisas boas do mundo são incertas, e assim como podem ser conquistadas, podem ser perdidas.
Suporta com paciência e sem murmúrio a tua parte, seja qual for,
Dos sofrimentos que o destino determinado pelos deuses lança sobre os seres humanos.
Mas esforça-te por aliviar a tua dor no que for possível.
E lembra que o destino não manda muitas desgraças aos bons.
O que as pessoas pensam e dizem varia muito; agora é algo bom, em seguida é algo mau.
Portanto, não aceita cegamente o que ouves, nem o rejeita de modo precipitado.
Mas se forem ditas falsidades, retrocede suavemente e arma-te de paciência.
Cumpre fielmente, em todas as ocasiões, o que te digo agora:
Não deixa que ninguém, com palavras ou atos,
Te leve a fazer ou dizer o que não é melhor para ti.
Pensa e delibera antes de agir, para que não cometas ações tolas,
Porque é próprio de um homem miserável agir e falar impensadamente.
Mas faze aquilo que não te trará aflições mais tarde, e que não te causará arrependimento.
Não faze nada que sejas incapaz de entender.
Porém, aprende o que for necessário saber; deste modo, tua vida será feliz.
Não esquece de modo algum a saúde do corpo,
Mas dá a ele alimento com moderação, o exercício necessário e também repouso à tua mente.
O que quero dizer com a palavra moderação é que os extremos devem ser evitados. Acostuma-te a uma vida decente e pura, sem luxúria.”

Fontes:

Um comentário:

Mari disse...

Adorei o texto!!
Tenha um maravilhoso feriado!!
Beijos no coração!♥
Mari

^