quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Destaque: Carlos Vereza em Entrevista Sobre o Filme "Bezerra de Menezes"













Hoje é a véspera do lançamento nacional nos cinemas de “Bezerra de Menezes, o Diário de um Espírito”, nada melhor que conhecermos mais sobre o assunto lendo essa reportagem do Jornal “Diário do Nordeste” com entrevista do ator Carlos Vereza falando do filme e de como foi a sua atuação no papel principal.


ENTREVISTA COM CARLOS VEREZA


"Tive a grande honra de fazer este filme" (Carlos Vereza)


O ator Carlos Vereza é um ator completo e versátil. Se procurarmos nos aprofundar em sua trajetória, ele fez quase de tudo seja na televisão, teatro ou cinema. Na TV, trabalhou em novelas como “Sinhá Moça” (2006), “Duas Caras” (2007) e “Começar de Novo” (2004). Entretanto, foi em 1981 que interpretando Lafaiete, o “Badaró”, no “Jogo da Vida”, que ganhou notoriedade em todo Brasil. Vereza foi escalado para interpretar a vida do doutor Bezerra de Menezes, no filme “Bezerra de Menezes - o Diário de Um Espírito” após sua participação, em 2005, na peça ´Brasil, Mensageiro da PAZ´, durante a III Mostra Brasileira de Teatro Transcendental em Fortaleza. Segundo admiradores e estudiosos da vida do ´Médicos dos Pobres, não haveria um ator que reunisse tantos atributos juntos para melhor interpretar o Dr. Bezerra do que Vereza.

O longa-metragem, baseado no Século XIX - época que viveu o personagem - , de produção cearense e realizado com a ONG “Estação da Luz”, estreará neste mês, em 29 de agosto, nos principais cinemas de todo o Brasil. Nesta entrevista concedida com exclusividade ao Diário após a Avant Première do filme em Brasília, Vereza se emociona ao falar de Bezerra de Menezes


Como se deu o trabalho de incorporação do personagem Bezerra de Menezes? Por exemplo, você teve que ler sobre alguns detalhes da vida pessoal do protagonista para exercer o papel?

Eu estudo e procuro praticar os ideais espíritas há um bom tempo. Por conseqüência, já tinha conhecimento da vida do ´Médico dos Pobres´ através de livros e de suas obras. O resto foi a incorporação de suas atitudes éticas, de compaixão e postura que Bezerra de Menezes possuía e as usava no seu dia-a-dia. Uma das maiores alegrias da minha vida foi o convite para este trabalho. Tive a honra de fazer este filme. Semanas antes de gravar, deixei de comer carne, não bebi nada alcoólico e vigiei ainda mais meus pensamentos


O fato de ser adepto à doutrina espírita, contribuiu para que você aceitasse o papel?

Não resta a menor dúvida. Isso foi um dos fatores determinantes porque eu já tenho um razoável conhecimento do tema. Eu, particularmente, fiquei muito contente pelo convite.


Como começou o teu envolvimento com o Espiritismo?

Começou há dezoito anos, em 1990. Na verdade, pensando bem, foi por mero acidente. Inclusive, o ser humano procura o Espiritismo através de três coisas: pela razão, por amor ou pela dor. No meu caso específico, foi através da dor.


Pela sua experiência na “Sétima Arte”, como decorreram as filmagens de Bezerra de Menezes - O Diário de Um Espírita”?

Sobre todos os aspectos, tanto técnicos como humano, acho que decorreram muito tranqüilas. Houve uma total interação com todo o elenco e a direção e isso facilitou muito.


Você sendo um conhecedor da vida do ´Médico dos Pobres´, pra você, qual foi a grande mensagem que Bezerra de Menezes nos deixou?

Indubitavelmente, a compaixão. Se você conhecer a história de Bezerra de Menezes, vai sempre encontrar esse acontecimento na vida dele. O filme, que mostra o desenrolar da sua vida e de fatos históricos, provará o que estou afirmando.


No filme, quais as cenas que você considera mais importantes? Por quê?

Isto é um pouco difícil de responder. Mas acredito que foi aquela quando ele, Bezerra de Menezes, dá o próprio anel de formatura para um paciente que não tinha dinheiro nem sequer para comprar medicamentos. Isto foi uma cena emocionante e que marca.


Em sua opinião, qual é a importância de Bezerra de Menezes para o Espiritismo em geral?

Considero-o uma referência absoluta na busca pela PAZ no Brasil. E sem ele, haveria um vácuo muito grande para a doutrina espírita mundial.


No período das filmagens, através de sessões espíritas, você teve alguma mensagem de um espírito em relação ao filme?

Sinceramente, eu senti que havia uma energia positiva, protetora em torno do trabalho. Isto foi muito reconfortante não só para mim, mas para todos que participavam das filmagens.


Conhecedor do meio, quais os pontos em comuns que tiveram Chico Xavier e Bezerra de Menezes?

Sendo espíritas, os dois tinham muitas afinidades, mesmo vivendo em épocas diferentes. Entretanto, o ponto mais comum entre os dois, sem dúvida, foram o amor ao próximo.


Você acha que o público se identificará muito com o filme?

Olha, as pessoas já estão é se identificando com o filme. Aqui, por exemplo, no cinema em Brasília, onde o longa teve sua ´Pré-estréia´ para jornalistas e autoridades, ficou ´gente no chão´. Esta identificação se dá nas pessoas justamente pelo tom pacifista. Muita gente que almeja paz se identificará com Bezerra.


Você tem algo a dizer sobre o filme ?

Este filme não se trata meramente de uma panfletagem. É uma história, na verdade, sem dogmatismo algum, salientando a figura política e humana de quem foi Bezerra de Menezes. Bezerra foi um homem de visão. Ele era contra a escravidão, as oligarquias e achava que poderia ter monarquia sim, porém, desde que o trono ficasse no meio do povo e não o povo aos pés do trono. Que tivesse um rei sim, no entanto, que o povo não ficasse submisso as suas ordens.




Agradecimento especial para a amiga Isis Maria do Fórum Espírita, pela contribuição na concessão de seu tópico para o nosso Blog.

Um comentário:

Eder disse...

Em 1º lugar não ponho a discussão a pessoa, ator, e carater deste grande Ator Carlos Vereza.
Mas sim debato no campo das ideias a qual ele se expressou no programa do Jó à respeito da mediunidade operação espiritual através da manifestação de moleculas e de espiritos desencarnados; sei que a crença é livre, cada qual deve buscar nas filosofias, ou religiões seu encontro espiritual. Mas no meu entendimento dos Estudos Espiritualistas, ninguém poderá se Igualar, em nº, grau, espiritualidade, operações, fisicas, metafisicas, moleculares, perto, longe além...Mais que Jesus de Nazaré.
Alan Cartek, Bezerra de Menezes, Zé Arigô, Drº Freetiz, Alziro Zarur, e outos, jamais poderão se igualar a Grandiosidade, unção, poder operador, fisico, espiritual, material do que o próprio Jesus, todos os demais são Sombras e reflexo de imitação, jamais sobrepondo os acontecimentos gloriosos registrado nas paginas poderosas da Bíblia Sagrada. A srº Carlos Vereza a minha estima, mas um alerta Jesus o maior Operador de Maravilhas não reencarnou...Jesus Ressucitou!

^